O Impala representou um modelo de prestígio por quase 30 anos.

 

Chevrolet Impala modelo 1967
Chevrolet Impala modelo 1967

O Chevrolet Impala foi um grande ícone nos Estados Unidos e conseguiu muitos fãs por aqui no Brasil. É um veículo, mais precisamente um carro daqueles que você olha por mais de dez segundos. Ele te encanta! É um carro de família, grande e exuberante e não é fácil de ser encontrado por aqui, mas não é impossível. Bem, dentro dele, você se sentirá poderoso. É uma máquina de respeito. Todos os Impalas são bons, mas, os que fazem mais sucesso são os de décadas passadas, sobretudo os modelos de 67.

O Chevrolet Impala começou a ser fabricado pela General Motors nos Estados Unidos em 1958. É um carro sedã, grande, potente, motor V.8 e com quase 400 cavalos de potência. Sim, são cavalos de potência e não pôneis malditos… rs. Um carro que ganhou melhorias nos anos seguintes, obviamente. Sua fabricação foi mantida até mais ou menos 1974, quando foi substituído pelo Caprice. A partir desse momento, ficou tido como modelo intermediário.

O carro em questão é um dos símbolos da série Sobrenatural. É o carro de um dos protagonistas da série, Dean Winchester. Ele ganhou esse carro de herança de seu pai, embora, seu pai ainda estivesse vivo quando deu a Dean o carro.

Com a configuração de acabamento top de linha da Chevrolet, rebaixando o acabamento Bel Air à posição intermediária. O Bel Air, por sua vez, era o nome da versão Hard Top Coupe (falso conversível) dos Chevrolets fabricados de 1950 até 1952. Em 1953, tornou-se o nome da versão de acabamento top de linha da Chevrolet, que ainda contava com o 1-50 e o 2-10, respectivamente, a entrada e intermediária. Com o lançamento do Impala, a Chevrolet extinguiu os modelos 2-10 e 1-50, criando o Biscayne e o Impala. Eles apenas se diferenciavam por detalhes, tais quais frisos, motorização, pintura e emblemas, mas a carroceria era a mesma, com exceção ao Conversível, que era apenas o Impala. Havia também o modelo Del Ray disponível para a linha 1958.

O sedã que mais se assemelha a uma imensa banheira entrou na década de 1960 como o automóvel mais vendido dos EUA e em 1965 bateu o recorde da indústria automobilística americana, com um milhão de unidades vendidas. Entre 1960 e 1969, vendeu 7,8 milhões de unidades, mas perdeu espaço para carros menores, que visavam competir com os menos extravagantes europeus. O sucesso do modelo tornou-o um dos reis da miniatura.

A fórmula do Impala era simples: estilo assinado pela dupla Harley Earl/Bill Mitchell, desempenho digno de um carro esportivo e comodidades não encontradas na concorrência, tudo pelo preço baixo tradicional dos Chevrolet. O estilo era bem superior ao dos Ford do mesmo ano, mas ainda perdia em harmonia para os Chrysler. O Impala apresentava dois pares de faróis, grade e para-choques envolventes, que lembravam os Cadillacs de anos anteriores, uma herança de Harley Earl que acabou por dar ao carro o apelido de “Baby Cadillac”. Tinha um teto mais curto que o do Bel Air, fazendo-o mais esportivo e esguio, com terceiro volume maior e mais definido. As seis lanternas traseiras iniciavam uma tradição, que só seria quebrada pelo modelo 1959, e o diferenciavam das versões inferiores, que tinham apenas quatro.

O Impala foi substituído como top de linha pelo Caprice, mas continuou em produção até 1974, como modelo intermediário dentre os modelos grandes da Chevrolet.

 

Tópicos #carro #Chevrolet #clássico #Impala #sedã #veículo