Nada como celebrar o dia do rock, falando também pela paixão por carros.

 

 

Misturar o bom e velho rock n' roll com carros é algo atemporal. Mexe com duas das maiores paixões do homem.
Misturar o bom e velho rock n’ roll com carros é algo atemporal. Mexe com duas das maiores paixões do homem.

Os acordes das guitarras e o ronco pulsante de motores de super máquinas, combinam? Ôh se combinam! Um inspirando a criação do outro! São dois assuntos que caem no gosto do país do carnaval! Especialmente aos fãs do rock and roll e loucos por carros.
O mundo do rock sempre esteve ligado com o automotivo, seja por suas letras e músicas, ritmos, videoclipes, cinema e mais ainda no gosto dos roqueiros endinheirados que não escondem suas paixões por máquinas esportivas, extravagantes, potentes, barulhentas e velozes.
Dentre as muitas opções oferecidas pelo mercado automobilístico, com suas rodas, belas curvas e velocidade, essa é a verdadeira combinação dos grandes sucessos dos monstros do rock, que por sua vez retratam interessantes histórias sobre a forte ligação com seus carros.

 

Vamos conferir alguns notáveis do mundo do rock e essa química com o mundo automotivo. Vejam:

 

– O Ferrarista: Um dos maiores guitarristas, cantor e divindade de todos os tempos! Nada mais ou nada menos que um dos antigos clientes da Ferrari! O guitarrista Eric Clapton participou de tantos clássicos do rock que entrou para o Hall da Fama do Rock and Roll 3 (três) vezes, sendo na carreira solo, com o The Yardbirds e com o Cream. Merecidamente, o britânico ganhou uma Ferrari desenvolvida
exclusivamente para ele, a SP12 EC. Baseada na clássica 512BB, de 1970, que Clapton tinha e destruiu em um acidente. A montadora italiana, que sabia de sua paixão pelo modelo, passou dois anos desenvolvendo um esportivo, utilizando a moderna Ferrari 458 Italia com motor V8 de 4.5L e 570 cavalos de potência. As mudanças estéticas foram feitas pelo estúdio de design Pininfarina para deixar o visual mais retrô.

 

– O Clássico: baterista da banda inglesa Pink Floyd, Nick Mason, com seu fanatismo por corridas de carros clássicos, e notório colecionador dessas belezinhas, também transformou sua paixão por carros em livro, em 1988, narrando suas experiências em “Into the Road”. Viciado em corridas, como dissemos acima, participou da reedição da Carrera Panamericana no México, em 1991, pilotando uma réplica do Jaguar tipo C 1952. O músico ainda correu nas 24 Horas de Le Mans e no Goodwood Festival com um Audi Silver Arrow. Em sua coleção de carros, com gosto exuberante por Ferraris, ele preserva dois excelentes modelos, que são: primeiro, um dos carros mais caros do mundo, uma Ferrari 250 GTO de 1962, e também dono de uma das 400 Enzos produzidas, também conhecidas como Ferrari F60.

 

– O louco por Porsche: James Hetfield, vocalista e guitarrista da banda Metallica, provou uma dose extra de adrenalina, quando pilotou um Porsche 911 GT3, da Cup Challenge Brasil, em janeiro de 2010, no autódromo de Interlagos, em São Paulo, pouco antes de uma apresentação no estádio do Morumbi. Nessa experiência, Hetfield pode aprender, técnicas usadas por pilotos profissionais. Em “Some Kind of Monster”, um documentário sobre o Metallica, podemos conferir a paixão de Hetfield pela velocidade. Entre os destaques da coleção do músico americano está um clássico Buick Skylarck, vencedor de um concurso na Califórnia como personalização
mais elegante.

 

– O rebelde e conservador: Não podemos deixar de falar de um dos integrantes mais rebeldes dos Rolling Stones, o guitarrista Keith Richards. E quando o assunto é carro, nos espantamos por sua preferência, pois o provocador e polêmico músico prefere o conservadorismo e a sofisticação de máquinas britânicas como a Bentley. Por volta dos anos 1960, em uma de suas peripécias, Keith e John Lennon fizeram uma viagem juntos por 3 (três) dias pelo Reino Unido. O guitarrista revelou em uma entrevista, no ano de 2010, que a dupla embarcou numa jornada em seu Bentley Blue Lena, nome dado por ele ao seu Bentley S3 Continental Flying Spur, uma das poucas unidades produzidas pela fábrica inglesa na época. E que após ter tomado muitas coisas excepcionais, fazendo altos sons,
nenhum dos dois conseguia se lembrar do que aconteceu. Em sua autobiografia recém-lançada, ele também revelou
que o veículo tinha um compartimento especial para guardar drogas.

 

– A Psicodélica: Janis Lyn Joplin foi uma cantora e compositora norte americana. Considerada a “Rainha do Rock and Roll”, dos anos 1960, e também a maior cantora de blues e soul da sua geração. A cantora eternizou as marcas Porsche e Mercedez-Benz em uma de suas canções. Na época hippie, um momento psicodélico do mundo, Janis pediu ao artista plástico David Richards que pintasse seu Porsche 356C Cabriolet de 1965, tudo isso influenciada pelo movimento denominado Flower Power, de São Francisco. Assim sua linda máquina ganhou figuras abstratas, com borboletas, rostos de pessoas e muitas cores, e no ano passado seu carro esteve em exposição
no Whitney Museum de Nova York.
Bom, conhecendo algumas dessas incríveis histórias, de uma forma ou outra, esses e tantos outros carros representam o espírito rebelde que sempre caracterizou um dos gêneros musicais mais venerados do planeta… o rock and roll!

 

#DiadoRock 😉

 

Tópicos #Bentley #carros #Dia do Rock #Ferrari #geral #guitarristas #marcas #mercado automobilístico #mercado automotivo #Mercedez-Benz #Porsche #rock and roll #roqueiros