Combustível batizado gera prejuízos. Saiba como fugir de golpes na hora de abastecer seu carro; confira.

Você deve conhecer alguém que abasteceu o veículo com combustível batizado ou adulterado. Ou você mesmo já passou por isso. Realmente é de doer o bolso e a alma! Você percebeu que seu carro começou a ficar estranho e de imediato não soube a razão? Será que você resolveu economizar no combustível? 🤔😣 Xiii, abasteceu em um posto desconhecido, com aquele atrativo de preços mais baixos (fora da média de outros postos!) com preços “milagrosos”, meu amigo, deu ruim… Isso é sinal de combustível batizado ou adulterado, o que pode ser um perigo para a “saúde” do motor do seu carro.

Não compre gato por lebre! É nessas horas que devemos ficar mais espertos! Infelizmente, isso ocorre com grande frequência no Brasil, tanto pela desonestidade de alguns quanto pela falta de fiscalização dos órgãos governamentais.

Imagine que seu carro é seu melhor amigo contando um segredo. Em pouco tempo, sons, cheiros e luzes diferentes começam aparecer. Luzes diferentes no painel indicam algo ruim com o carro. Seu carro começou a engasgar, com funcionamento irregular do motor, sentiu dificuldade de dar a partida e aumento no consumo, aí tem coisa, é sinal de que possivelmente você foi “premiado”. Portanto, aprenda a “ouvir” o seu carro! Afinal, não é preciso ser um mecânico experiente para saber identificar que o tanque está com gasolina repleta de solventes químicos de baixa qualidade ou com álcool misturado com água. 😣

A gasolina, o diesel e o etanol hidratado (aquele usado para abastecer automóveis) “batizados” podem danificar bomba de combustível, injetores, formando depósitos de sujeira nas válvulas. O etanol misturado ao álcool anidro, que por lei só pode ser acrescentado à gasolina, é capaz de formar “gomas” na parte interna do propulsor. Outra tática adotada por donos desonestos de postos é burlar a aferição volumétrica na bomba, por meio de um chip: ela informa um volume maior que o fornecido. O dispositivo eletrônico pode ser desativado a qualquer hora, justamente na tentativa de enganar os fiscais. No caso da volumetria, mais uma dificuldade: a fiscalização cabe ao Ipem (Instituto de Pesos e Medidas), órgão com gestão a cargo de cada Estado.

É difícil identificar alterações no combustível na hora do abastecimento, mas alguns cuidados minimizam os riscos. Para sabermos onde abastecer com segurança e evitarmos diversos aborrecimentos e prejuízos, precisamos estar atentos aos estabelecimentos que estão de acordo com a lei e vendendo combustível de boa qualidade. Existem indicativos que mostram onde o produto oferecido é bom ou ruim. Agora, vamos conferir algumas dicas para evitar o problema ou, em caso de se tornar vítima da adulteração, saiba buscar seu direito a ressarcimento. Vamos lá:

1 – Postos com boa aparência e preço:

Não basta apenas ter um “rostinho lindo” para ficarmos tranquilos quanto ao combustível que vai entrar no tanque do nosso carro. É preciso estar atento a vários detalhes que fazem enorme diferença e são indícios de que algo pode estar errado com o combustível oferecido.

Postos de boa aparência, em geral os de “bandeira”, são os mais indicados para se abastecer com combustível bom. Mesmo que muitos não estejam isentos de fraudes de outros tipos, como “chupa cabras”, bomba adulterada e outras formas de ganhar mais, mas de forma ilegal, neles pelo menos as chances de obter um combustível batizado ou ruim são menores. Eles precisam passar pelo crivo das distribuidoras que naturalmente é mais exigente que os de postos de combustíveis sem nenhuma representação. Claro, também existem postos assim como boa gasolina ou etanol, mas o mais indicado ainda é abastecer em posto de bandeira ou de rede, desde que ligado à algum distribuidor nacional.

Por isso, um posto bem aparelhado e dotado de equipamentos novos ou em bom estado, representam um investimento grande e por isso o proprietário não irá querer se queimar vendendo combustível adulterado apenas para lucrar mais. Se estiver em estrada, tais postos também são melhores por oferecer infraestrutura mais completa e adequada.

Quanto ao preço, esqueça brindes, mágicas ou preços milagrosos. Combustível muito abaixo do preço médio é um forte indício de que o posto está vendendo combustível ruim ou cometendo algum tipo de ilegalidade no processo de venda, como dispositivos que alteram os dígitos na bomba ou mesmo o fluxo de vazão de combustível. Então, sempre desconfie quando o preço estiver muito abaixo do mercado, pois não há como obter lucro com valores tão inferiores aos da concorrência. Fique bem atento aos valores apresentados nos banners e tome cuidado com as cores. Geralmente a cor atribuída à gasolina comum nos banners tem seu preço anunciado de outro combustível, geralmente feito isso em postos sem bandeira que imitam os de distribuidores.

2 – Atente-se a postos vazios, com movimento baixo:

Você precisou abastecer, durante aquela semana corrida e em horário de pico, avistou um posto, porém vazio, tem algo muito estranho aí, ainda mais se for de boa aparência ou de bandeira. Uma dica legal é ficar ligado onde os taxistas abastecem. São locais que indicam boa procedência da gasolina ou etanol, visto que eles precisam de algo bom em seus tanques para rodar e não perderem dinheiro nas viagens. Portanto, fique de olho nesse detalhe.

Se você já tem um posto de boa gasolina ou etanol, fique com ele e não se arrisque em outro para ter um combustível bom para seu dia a dia. Procure encher o tanque e para rodar por mais tempo e evitar também os reajustes constantes nos preços dos combustíveis. Outra dica importante é você compartilhar com amigos e outras pessoas o posto onde abastece com combustível de procedência, pois uma hora você precisa de igual informação. #FicaaDica 😉

3 – Barulhos estranhos e cheiros incomuns no carro:

Lá no início do texto, falamos: aprenda a ouvir seu carro! Isso mesmo! Se, de repente, junto com a música do rádio do seu carro, você ouvir um som parecido com corrente de bicicleta mudando de marcha, preste atenção! Principalmente se o carro estiver subindo uma ladeira, momento em que o motor é mais cobrado. Esse fenômeno é chamado de pré-ignição, combustão anormal provocada por combustível de má qualidade.

E completamos: aprenda também a treinar o seu olfato e tente reconhecer os “aromas” ou cheiros do veículo. Se sentir cheiro de querosene e solvente saindo do escapamento, fique atento e desconfie! Combustíveis “batizados” possuem alto teor desses produtos químicos.

4 – Piscou uma luz amarela? Alerta!

O painel do carro diz tudo pra gente. Ele indica que algo vai mal com o carro, e quando uma luz amarela acender do nada, você está sendo advertido. Geralmente, quando a gasolina não é boa, essa luz acende indicando que o sistema de injeção não está funcionando como deveria. E pronto, o barato saiu caro! Isso não é uma dica, é um alerta! Seu carro pode sofrer danos irreversíveis e então o prejuízo será muito maior. Saiba quais os principais danos causados pelo combustível batizado: corrosão dos pistões, carburador entupido, mangueiras de combustível derretidas, sujeira no óleo lubrificante e danos nas velas e válvulas, avarias nos bicos injetores, bombas e filtros de combustível, perda do motor do veículo.

Dependendo do nível de adulteração, o combustível batizado pode danificar e muito o motor do carro, conforme citado acima. A pré-ignição é um dos sintomas de combustível adulterado no propulsor, já que significa a detonação do combustível em momento diferente do normal. Mas, exceto se a adulteração for muito elevada, dificilmente uma única abastecida trará danos permanentes ao motor.

Especialistas afirmam que após quatro tanques completos de combustível ruim ou batizado é que o motor apresentará danos mais graves e que trarão muito mais prejuízo e aborrecimentos. Se o carro começar a falhar sem demora, após o abastecimento, procure uma oficina bem estruturada para remover o combustível do tanque em tempo de evitar mais falhas e problemas. Depois, abasteça com etanol ou gasolina aditivada em um posto de procedência, a fim de que o novo e bom combustível ajude a limpar o motor e outros componentes expostos ao produto adulterado.

5 – Buscando seu direito e como denunciar:

Caso você tenha certeza que seu veículo sofreu algum dano recorrente a combustível adulterado é seu direito solicitar que o prejuízo seja ressarcido, mas para isso, não titubeie e sempre exija nota fiscal ao abastecer. Nada de somente a notinha do cartão de crédito ou débito! Você pode informar a quilometragem e a placa do veículo na NF. A NF é a garantia de que abastecemos no local e isso servirá como prova legal mais adiante. Infelizmente, nem sempre dá para provar que o combustível era ruim, batizado ou adulterado.

Logo, junte todas as provas: nota fiscal do posto, comprovantes de compra de peças, mão de obra de manutenção, notas de serviço de drenagem do tanque, do novo abastecimento em seguida para limpeza do tanque e motor – por exemplo – e dirija-se ao PROCON mais próximo, lá você será orientado. E mesmo sendo ressarcido, ainda sentir-se prejudicado, você pode entrar com uma ação no Juizado de Pequenas Causas, e acionar um advogado para solicitar um pedido de indenização.

Denuncie também à ANP (Agência Nacional de Petróleo) que regula o setor e pode até lacrar o posto, impondo igualmente multas de milhares de reais por venda de combustível adulterado. O órgão, no entanto, tem poucos técnicos e recursos para fiscalizar os milhares de postos de combustíveis espalhados pelo Brasil, mas ainda assim a denúncia é válida, pois direciona os fiscais da ANP exatamente para o estabelecimento que está agindo de má fé, vendendo combustível ruim e gerando enormes prejuízos ao consumidor.

Leia mais:
Qual a importância de escolher uma auto peças de qualidade
Uber Comfort chega ao Brasil com carros mais espaçosos, climatizados e corridas sem conversas
Fusca: o nascimento de um símbolo mundial
Contate-nos! Visite nossa loja virtual