O CRLV, o documento obrigatório de veículos, será oferecido na versão digital em todos os estados até o fim do ano.

O Brasil iniciou seu processo de digitalização há algumas décadas, mas somente nos últimos anos deu um salto de qualidade. Nos dias atuais, e cada vez mais, o país caminha para o mundo digital. 👍📲🌎

Após o lançamento da Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNHe), o Ministério das Cidades e Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) apresentaram na última semana, dia 27, a versão digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVe), mais conhecido como o documento do carro. O serviço começa a ser oferecido primeiro aos proprietários de veículos registrados no Distrito Federal (DF).

Como um documento de porte obrigatório dos veículos, o CRLV terá em sua versão digital todas as informações do documento impresso, além de um QR Code, que pode ser lido para verificar se há alguma falsificação no documento durante uma abordagem de trânsito. A oferta do CRLVe no Distrito Federal servirá para o Denatran realizar todos os testes e eventuais adequações necessárias no aplicativo. A tecnologia será adotada pelo Departamento de Trânsito – Detran –  de cada estado gradualmente. Portanto, os demais Detrans do país têm 31 de dezembro de 2018 para aderir a nova tecnologia, de acordo com o Conselho Nacional de Trânsito – Contran.

A diretora-presidente do Serpro, o Serviço Federal de Processamento de Dados, Glória Guimarães, acredita que a plataforma poupará tempo dos condutores: “Será uma facilidade ao cidadão, tornando a sua vida mais cômoda. Não será mais preciso ir em vários lugares para poder ter o documento, agora o celular conterá todas as informações necessárias”. Além da facilidade e portabilidade do uso do documento, destaca-se também a segurança e a veracidade das informações contidas nele através da tecnologia do QR Code, permitindo a checagem imediata do documento por fontes fiscalizadoras.

O documento eletrônico de veículos tem o mesmo valor legal do CRLV impresso, que continua sendo de emissão obrigatória. E, segundo o Governo, cada Detran é encarregado de determinar a cobrança ou não de taxa adicional pelo CRLV digital. De acordo com Ministério das Cidades, o documento não terá custos no Distrito Federal, e só poderá obtê-lo quem já tiver pago o licenciamento de 2018.

O acesso e cadastro para visualização do documento é simples. Veja o passo a passo para a versão digital:

– Para o usuário que já possui a CNH Digital, deverá atualizar o aplicativo para a versão da “Carteira Digital de Trânsito”, caso a opção de atualização automática não esteja acionada no dispositivo. Em seguida, adicionar o CRLV Digital, informando o número do Renavam e o código de segurança impresso no Certificado de Registro de Veículo – CRV (antigo DUT).

– Para o usuário que não possui a CNH Digital, é preciso baixar o aplicativo “Carteira Digital de Trânsito” na App Store ou Google Play. Efetuar o cadastro de usuário no próprio aplicativo. Adicionar o CRLV, informando o número do Renavam e o código de segurança impresso no Certificado de Registro de Veículo – CRV (antigo DUT).

Saiba que o aplicativo disponibilizado para leitura e visualização do CRLVe permite a inscrição de várias CRLVe(s) relacionadas a outros veículos, para isto é sempre importante informar os códigos Renavam e os códigos de segurança de cada veículo no ato do cadastro.

Um outro detalhe, é que nesta primeira versão, não será possível qualquer pessoa obter o CRLVe, pois o documento está diretamente atrelado ao número de celular, informado pelo usuário no momento do cadastro, porém o Governo promete disponibilizar uma futura versão na qual diversos usuários poderão compartilhar um mesmo documento digital.

E teremos também a possibilidade de baixar o arquivo em formato PDF, com assinatura digital para ser utilizado em alguma necessidade onde se exija um documento autenticado.

Para saber qual Detran já aderiu ao CRLVe, é possível consultar o site oficial do projeto.

Nota importante: a tecnologia nos ajuda muito no dia a dia, porém muita atenção com a bateria do celular, mantendo sempre disponível, com carga máxima. De acordo com o Código de Trânsito, o motorista que for parado sem o documento -impresso ou digital- comete infração gravíssima e pode receber multa de R$ 293,47, mais 7 pontos na carteira, além de ter o veículo removido.

 

#AutoPeçasMolina é informação! 😉