A Controlar, empresa de inspeção ambiental veicular em São Paulo, entrou com uma ação na Justiça para manter o serviço de vistoria nos automóveis pelo menos até o dia 31 de janeiro.

De acordo com os advogados da empresa o contrato acabaria em 2018 e alegam que a Prefeitura tomou essa medida como um “pretexto”, argumentando que o contrato expirou para evitar arcar com custos do rompimento. A Prefeitura de São Paulo havia anunciado o fim do contrato e suspensão do serviço na sexta feira, dia 11.10.

Na manhã de segunda-feira, a primeira após o fim da inspeção, vários postos amanheceram fechados, com faixas informando sobre a suspensão do serviço. A Controlar afirma que ficou sabendo da decisão da prefeitura pela imprensa, antes mesmo de um comunicado oficial sobre o assunto. Na ação, a Controlar sugeriu estar sendo perseguida pela administração do PT. O fim da taxa de inspeção veicular era uma promessa de campanha do prefeito Fernando Haddad.

Porém a Justiça de São Paulo determinou hoje, 16/10/2013, o retorno do contrato da Controlar, empresa da CCR, com a prefeitura da capital paulista para a realização de inspeção veicular. O juiz Paulo Baccarat Filho, da 11a Vara de Fazenda Pública, determinou a manutenção da prestação de serviços pela Controlar até 31 de janeiro de 2014, mas ainda há possibilidade de recurso, segundo nota no site do Tribunal de Justiça de São Paulo.

E aí, o que dizer disso tudo? O jeito é esperar as cenas dos próximos capítulos…

 

Tópicos #Controlar #manutenção dos serviço #Prefeitura de São Paulo #suspensão veicular #veículos