Volvo apresenta tecnologias para evitar acidentes de trânsito

Volvo apresenta tecnologias para evitar acidentes de trânsito

Carros da Volvo terão tecnologias que limitam velocidades e serão à prova de motoristas embriagados; entenda.

A Volvo, sempre atuante com medidas de segurança em seus carros. E a tecnologia acompanha essa jornada no mundo dos carros da marca. Afinal de contas, sua meta é zerar mortes em seus veículos a partir de 2020.

Quanto a esse quesito “segurança”, a Volvo segue com novas iniciativas para que não haja nenhum acidente fatal envolvendo os ocupantes de seus carros. E neste mês, a marca sueca apresentou duas novidades. A primeira novidade batizada de “Care Key”, em tradução livre para o português, algo como “Chave de Cuidado” ou “Chave de Precaução”, é uma chave que limita a velocidade do veículo e será um item de série em todos os carros Volvo a partir de 2021, adianta a fabricante.

Chamada de Care Key, chave que limita velocidade máxima do carro, tecnologia será item de série em modelos partir de 2021. (Foto divulgação)

Parece ser uma boa solução para o compartilhamento de veículos. O recurso, por meio da chave, propicia ao proprietário limitar a velocidade máxima quando o veículo é emprestado. Em casos de motoristas inexperientes, amigos ou outros membros da família, como também manobristas, é uma forma de restringir o uso, e “abuso”. A máxima permitida será de 180 km/h. “Muitos querem poder compartilhar seu carro com amigos e familiares, mas não sabem sobre como se certificar de que estão seguros”, apontou Hakan Samuelsson, presidente-executivo da Volvo. A marca promete ainda apresentar a tecnologia às seguradoras para reduzir os valores dos seguros.

A segunda novidade é para trazer mais segurança aos seus motoristas, inclusive quando eles mesmo representarem perigo. Refere-se ao combate a condutores embriagados ou sob influência de drogas, e até mesmo desatentos. Se você assiste ao programa “Big Brother”, você vai entender esse esquema…

A Volvo irá instalar câmeras e sensores que, em conjunto, monitoram e até fazem intervenções caso o sistema detecte sinais de intoxicação ou distração. De acordo com a Administração Nacional de Segurança Rodoviária dos Estados Unidos (NTHSA), quase 30% das fatalidades no trânsito em veículos em 2017 envolveram motoristas sob efeito de substâncias químicas, álcool ou drogas.

A tecnologia entra em ação após detectar comportamentos como falta completa de participação na direção por longos períodos de tempo, motoristas com os olhos fechados ou fora da estrada por muito tempo, saídas irregulares de faixa nas pistas e tempos de reação excessivamente lentos. A partir daí, o sistema de intervenção pode limitar a velocidade do carro, alertando o serviço de assistência Volvo On Call, ou adotar um plano de ação final, que consiste em reduzir ativamente a velocidade do carro até pará-lo com segurança.

“Algumas pessoas ainda acreditam que podem dirigir depois de tomar uma bebida e que isso não afetará suas capacidades. Há muitos acidentes que são causados por motoristas intoxicados”, diz Trent Victor, professor de Driver Behavior na Volvo Cars. “Queremos garantir que as pessoas não sejam colocadas em perigo como resultado de intoxicação”, completa.

Tudo muito legal, muito bonito. Porém, surge uma questão: e a privacidade, como fica? Após o anúncio da Volvo, o The Verge os questionou a respeito da privacidade dos motoristas. Segundo um porta-voz da empresa, as câmeras não irão gravar vídeos e nenhum dado será utilizado sem consentimento.

Aguardemos as cenas dos próximos capítulos!

#AutoPeçasMolina é informação! 😉