O que acontece quando não se usa o cinto de segurança no banco traseiro?

O que acontece quando não se usa o cinto de segurança no banco traseiro?

Vídeo mostra o que acontece quando não se usa o cinto de segurança no banco traseiro

Cinto de segurança no banco traseiro é obrigatório e tão importante para o passageiro quanto para o motorista do veículo. Esse tipo de alerta costuma não ser ouvido tão menos praticado aqui no Brasil e também nos Estados Unidos.

Diz aí: você costuma pedir para seus familiares ou amigos colocarem o cinto de segurança no banco traseiro? Seja sincero! Se sim, você salva as vidas deles e principalmente a sua vida, em uma possível colisão. Se não, achamos melhor rever seus conceitos… Reflita: se todos estiverem devidamente afivelados poderão salvar a sua vida também – repetimos – a sua vida também! Insista nisso! 👍

No Brasil, não utilizar o cinto de segurança quando se viaja no banco de trás é um hábito comum, infelizmente. E haja desculpas! Seja porque os cintos estão “escondidos” no estofamento do carro, seja porque o trajeto é curto e “não vale a pena o desconforto”. Ou o veículo está com sua lotação máxima e colocar o seu cinto pode ser um verdadeiro desafio, e por aí vai… Nos Estados Unidos, um estudo apontou que 4 de cada 5 entrevistados dizem não usar o cinto de segurança no banco traseiro, principalmente quando fazem viagens curtas em táxi ou Uber.

A falta dessa proteção no banco traseiro revela graves consequências aos passageiros como mostra um vídeo do IIHS (Instituto de Segurança Viária dos Estados Unidos/’Insurance Institute for Highway Safety’, em inglês), o fortíssimo impacto causado pelo passageiro do banco de trás, sem cinto, no motorista a sua frente em uma batida. A colisão acontece em uma velocidade relativamente baixa, uma velocidade considerada normal no trânsito urbano, a 56 km/h, e mostra o condutor sendo pressionado contra o volante. Nas imagens, o boneco “dummie”, que representa o passageiro sem cinto no banco de trás, é atirado violentamente sobre o banco do motorista, que está a sua frente.

O IIHS é um órgão independente de segurança veicular dos Estados Unidos, mantido pelas seguradoras. No país, a imensa maioria dos passageiros da frente declaram usar o dispositivo, mas 25% dos entrevistados disseram não utilizar quanto estão atrás. Isso ocorre principalmente quando pegam carona, táxi ou serviços de carona remunerada.

Segundo o Cesvi – Centro de Experimentação e Segurança Viária – em uma colisão a 50 km/h, por exemplo, um adolescente de 50 kg sem cinto no banco traseiro pode ser arremessado contra os passageiros da frente com um peso aproximado de 1 tonelada. 😱

Portanto, o uso do cinto de segurança no banco traseiro não é desnecessário!!! O estudo constatou que os passageiros acham que o cinto não é necessário porque acreditam que o banco de trás seja mais seguro que os da frente, o que não é verdade. O instituto ressalta que a decisão de ignorar o cinto traseiro implica também em risco para outros ocupantes do veículo. Ou seja, numa colisão em alta velocidade, todos os ocupantes ficam gravemente feridos.

No Brasil, o uso do cinto de segurança tanto no banco da frente como no banco de trás é obrigatório, e o descumprimento é uma infração grave com multa R$ 197,23. São cinco pontos na CNH – Carteira Nacional de Habilitação – segundo o artigo 167 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Resultado: cinto de segurança no banco de trás significa segurança para todos! Ou, se ainda quiser ignorar e andar sem cinto, além de colocar a sua vida em risco, ainda é perigo para o seu bolso. #FicaaDica 😉

Assista o vídeo e veja o que acontece quando não se usa o cinto de segurança no banco de trás:

 

#AutoPeçasMolina é informação! 😉