Auto clássico: SP2, o Volks brasileiro

Auto clássico: SP2, o Volks brasileiro

Reconhecidamente um dos mais belos carros já produzidos no Brasil, o VW SP2, era considerado um exemplar brasileiro! Confira!

 
Ahh os anos 70! Uma década marcada por profundas mudanças no comportamento dos brasileiros e em relação ao mundo automotivo, foi um dos maiores responsáveis por isso. Para muitos motoristas, uma época de lembranças muito boas, de carros considerados clássicos, carros considerados os sonhos de consumo dos brasileiros…

O clássico Volkswagen SP2 (Foto divulgação).
O clássico Volkswagen SP2 (Foto divulgação).

Apesar de não ser uma época que se “trocava” constantemente os modelos de carros, seja por dificuldades daquele tempo, seja por questões industriais, políticas ou econômicas, mas pelo lado da história da indústria automobilística brasileira, foi uma época que deixou saudades com carros que foram verdadeiros heróis e que ganharam o reconhecimento tardio. Nessa época, a grande maioria das montadoras lançaram carros criados no exterior com adaptações para o consumidor nacional, e quem mostrou o caminho certo foi a Volkswagen, ao criar veículos de concepção local. Desse exemplo, surgiu a “família SP”. Hoje falaremos especificamente do VW SP2, um carro que tirou o sono de muita gente, conforme relatos de colecionadores!! Desenvolvido para o Brasil e apresentado como protótipo na Alemanha há mais de 40 anos, o esportivo tem muitas histórias a contar. Algumas com desfecho nos fundos de garagens, cobertas de ferrugem. Outras, porém, com final feliz. 😉

O legal desse carro e muitos motoristas não sabem, é que o SP2 é único! É um carro repleto de exclusividades (à época)! Um carro cheio de detalhes. Se você pensa que a Volks faz carros simples, ops… Esse não! Você pode comparar e achar que os faróis e a capa dele são iguais às de Brasília e Variant, errado! Não são! As pinças de freio são exclusivas dele. As barras estabilizadoras são dele. Até a tampa do tanque de gasolina é única, além de outros detalhes de acabamento exclusivos. Bom, na época o VW SP2 não tinha tantos elogios, mas foi uma caranga de sucesso e responsa!

Nesta época, rodavam aqui no Brasil, os modelos esportivos Porsche, Mustang e o nacional Karmann-Ghia. Porém, as vendas do Karmann-Ghia não tinham o mesmo sucesso do Puma, seu grande concorrente e que estava no auge do sucesso. A Volkswagen decidiu então, participar do mercado nacional esportivo com a criação de um novo carro esportivo, arrojado e moderno, que pudesse ser melhor que o Puma. No comando da VW do Brasil estava Rudolf Leiding, e empenhado em conquistar esta fatia do mercado de esportivos, tinha um projeto que possuía várias vantagens sobre seus concorrentes: o SP2.

O Volks SP2, foi o primeiro carro nacional totalmente projetado no Brasil, desenhado por Senor Schiemann, que desde 1969 já tinha idealizado o desenho básico do carro. A frente do SP2 foi inspirada no modelo europeu VW 412 (Type 4), assim como os brasileiros Variant e Brasilia, também criados por Leiding. Mas, os trabalhos na prancheta começaram mesmo em novembro de 1970, projeto este que ficou conhecido como “Projeto X”, e era guardado a sete chaves pela VW. Leiding ficou impressionado com o desenho do novo carro e mandou construir um protótipo para a Feira da Indústria Alemã, em São Paulo, em março de 1971. Após muita expectativa, finalmente foi exibido ao público, dividindo a atenção da feira com o protótipo C111 da Mercedez Benz. Especificamente, em junho de 1972, o VW SP2 saia das pranchetas e virava realidade!!

Se carro esportivo tem que ser baixo, o SP2 era o campeão nacional da categoria! Com apenas 1150 mm, era o carro nacional mais baixo já produzido no país. E o painel, completíssimo para a época. Era um show à parte!

Após seu lançamento oficial, o novo “Volks brasileiro” recebeu o nome de SP, iniciais de São Paulo, estado onde foi idealizado e produzido, porém existe uma versão, não oficializada pela montadora, de que seria a sigla para a expressão em inglês “Sport Prototype” ou protótipo esportivo. Houve muita repercussão, inclusive em outros países, sobre o lançamento do SP2. A revista alemã Hobby anunciou-o como o “Volkswagen mais bonito do mundo” e a Car And Driver americana conclamou a matriz alemã a produzi-lo em escala mundial. Na verdade existiam duas versões do SP: o SP1, com motor de 1584cc e 65cv, e o SP2 com motor 1678cc e 75cv. Por isso, muitas pessoas confundiam as informações e hoje para melhor entendermos, o SP1 e o SP2 foram lançados ao mesmo tempo. O SP2 não era uma evolução do SP1 e sim uma versão mais luxuosa e com motorização mais forte.

As principais diferenças entre os modelos SP1 e SP2 eram a motorização, o revestimento interno que era de curvin no SP1 e couro no SP2, a ausência do console central e dos “bigodinhos” dianteiros no SP1. Além disso o Volkswagen SP1 não tinha relógio de horas, marcador de temperatura do motor e nem luz de leitura de mapas.

O SP2 foi construído com chassis da VW Variant, com algumas diferenças, como freios dianteiros a disco e motor com dupla carburação (Solex 34 PDSIT com afogador automático). Os 75cv a 5000rpm levam o SP2 a 100Km/h em 16,4 segundos e velocidade máxima de 153km/h (dados do teste da revista 4 Rodas de 1972 na época), um desempenho considerado fraco para um carro com pretensões esportivas. É isso minha gente, o bonito desenho do SP2, que entorta pescoços até hoje, sofria com a falta de potência do motor. :(

Apesar do SP1 ter durado até 1974, foi o SP2 quem ficou mais famoso e é o mais lembrado nesses mais de 40 anos. No entanto, as muitas críticas enfraqueceram as vendas dos SP´s. Os bancos de couro, opcionais com o tempo, deixaram de ser oferecidos. Vale lembrar que também existiu o VW SP3, com motor 1.8 dianteiro e refrigerado à água do Passat, mas nem passou da fase de protótipo, devido ao alto custo de produção. E então, em fevereiro de 1976, o SP2 tinha a sua fabricação definitivamente encerrada. Foram produzidas mais de 10 mil unidades, das quais 681 foram exportadas para a Europa. O sonho de ter um carro brasileiro com a mesma qualidade e espírito dos “Gran Turismo” europeus durou apenas quatro anos. A saída prematura de linha do SP´s só serviu para reforçar a sua exclusividade.

Quase considerado um lenda, hoje é um privilégio e sorte ver um SP2 rodando nas ruas e estradas desse mundo afora. O “estilo SP2” costuma ser atualizado por designers apenas para sonhar com um futuro nostálgico!

Ahhh, e outra coisa, até virou brinquedo da coleção Hot Wheels! #FicaaDica
#AutoPeçasMolinaéNostalgia 😉